Mais da metade dos brasileiros não tem o hábito de poupar dinheiro, apontam os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). O fato coloca o país em posições baixas nos rankings de poupança: os chineses, por exemplo, poupam quase 30% de seus ganhos – o dobro da taxa nacional.

Mas por que, afinal, somos tão mal planejados em maioria? Quais são os fatores por trás desse cenário? Listamos os cinco principais para você conhecer e evitar.

  1. Baixo poder econômico

A questão da baixa renda foi o principal motivo apontado pelos brasileiros para justificar a dificuldade de poupar e investir. O pouco poder econômico, além das mudanças sociais e da crise enfrentada pelo país nos últimos anos, são alguns dos impedimentos para economizar. Nas classes C, D e E, estima-se que apenas 15% estão conseguindo juntar algum dinheiro em 2019.

  1. Compras, reformas e outras prioridades

Para alguns, receber um dinheiro extra pode até ser sinônimo de investimento, mas para a maioria dos brasileiros, esses “bônus” já têm sempre outro destino. Muitos responderam que, numa situação de ganho extra, precisariam priorizar o pagamento de dívidas, a reforma da casa,  a realização de uma viagem ou a compra de um carro, ao invés de economizar e investir.

  1. Sem controle de gastos

Outro motivo está na falta de educação financeira, que precisa estar mais presente na vida dos brasileiros. Em torno de 16% dos entrevistados admitiram perder o controle dos gastos, enquanto outros 10% não têm disciplina para manter o hábito de poupar dinheiro.

  1. Insegurança para investir

A pesquisa mostra também que, quando se trata de investimentos, o brasileiro tem um perfil mais conservador e prefere opções mais seguras. Por não conhecer o assunto completamente, muitos também não procuram diferentes modalidades de risco para aplicar suas economias.

  1. Sem estratégias para formação de reserva financeira

A pesquisa também constatou que cerca de 60% dos brasileiros só poupa dinheiro se sobra alguma quantia de seus ganhos mensais – quando na verdade o dinheiro para o “futuro” deveria ser guardado e investido prioritariamente. Isso significa que grande parte da população não tem estratégia para investir ou formar uma reserva de emergência.

Agora que você já conhece cinco comportamentos prejudiciais à sua saúde financeira, reflita sobre quais deles você eventualmente pratica e tente corrigir o quanto antes. Lembre-se de que nunca é tarde para começar a se planejar e investir no seu futuro.