Conforme ganhamos experiência e avançamos em nossa jornada profissional, costumamos perceber um aumento da nossa renda e, por consequência, do nosso padrão de vida, certo? Nem sempre. Esse raciocínio, aparentemente inofensivo, pode comprometer o patrimônio financeiro a longo prazo.

Inflação do estilo de vida é o termo utilizado para o comportamento de elevar os gastos de acordo com o aumento da renda. Com a permanência desse hábito, as despesas podem se tornar equivalentes ou mesmo superiores às receitas, favorecendo o surgimento de dívidas e dificultando o planejamento financeiro.

Se a inflação do estilo de vida é tóxica para a saúde financeira, como pode ser tão comum entre as pessoas?

A grama do vizinho sempre parece mais verde

O círculo social no qual estamos inseridos influencia nosso comportamento financeiro muito além do que imaginamos. A comparação com as aquisições dos nossos parentes, amigos e colegas de trabalho e a pressão social para adotar um determinado estilo de vida podem incitar o impulso para o consumo excessivo de bens desnecessários como uma forma de remediar o sentimento de inferioridade social e econômica e ser melhor aceito em um grupo. É preciso ficar atento e equilibrar as relações sociais com a sua realidade financeira.

A recompensa depois de tanto trabalho

Os contratempos e o estresse diários do trabalho precisam ser contrabalançados com relaxamento, descanso e alegria, não é mesmo? Que esses momentos são necessários para a preservação da saúde do corpo e da mente, todos já sabem. O problema se encontra no modo como essas autoindulgências serão satisfeitas. Muitos enxergam no consumo ininterrupto e em um padrão de vida mais elevado o caminho para a felicidade.

Mas afinal, o que fazer para aproveitar melhor o aumento da renda, evitando a inflação do estilo de vida? A resposta está na mudança da forma como pensamos.

Priorize aquilo que você realmente ama

Reprimir a inflação do estilo de vida não significa privar-se de experiências únicas e rejeitar todos os nossos desejos de consumo. Quando paramos de perder tempo com o que é desnecessário, abrimos espaço para o que gostamos de verdade – seja um hobby ou mesmo aquele objeto que é a nossa cara. Estabeleça suas prioridades e viva em consonância com elas.