Fique por dentro

6 cursos sobre educação financeira para fazer sem sair de casa

Está começando a organizar sua vida financeira? Fazer um curso pode ser uma ótima opção para adquirir conhecimento e até mesmo alguma confiança para arriscar alguns investimentos. E o melhor de tudo é que hoje em dia é possível ter acesso a bons conteúdos pela internet, sem a necessidade de sair de casa ou gastar dinheiro. Confira agora seis cursos gratuitos sobre o tema que podem ser feitos a qualquer hora!

 

Introdução ao Excel (oferecido pela Escola do Trabalhador)

Seja para uso pessoal, seja profissional, planilhas são ferramentas muito úteis para a organização financeira; e até hoje, o Excel é um dos principais softwares de planilhas eletrônicas utilizado para auxiliar nesse tipo de controle. Nele, qualquer pessoa pode gerar, sem dificuldade, tabelas com fórmulas prontas de soma, multiplicação, divisão e diminuição – e ainda pode gerar gráficos semanais ou mensais para melhor visualização dos seus gastos e investimentos. Além do módulo de introdução, o Ministério do Trabalho disponibiliza o curso também nos níveis intermediário e avançado.

Educação financeira empresarial (oferecido pelo SEBRAE)

Para quem quer um olhar mais empresarial sobre finanças, uma boa opção é o curso do SEBRAE. Nele, você aprenderá mais sobre como administrar os recursos do seu negócio da melhor forma possível. Atenção: para se inscrever, é necessário ter registro como Microempreendedor Individual (MEI).

Como investir em você (oferecido pela ANBIMA)

Em três módulos, o curso interativo da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA) propõe um novo olhar sobre finanças, orçamento pessoal e investimentos. Mas atenção: este curso possui como pré-requisito ter realizado o curso Planeje sua Liberdade. Quem ficou interessado, deve procurar primeiro pelos módulos mais iniciais.

Como organizar o orçamento familiar (oferecido pela FGV)

Este curso é ideal […]

Como conversar com as crianças sobre consumismo?

Você sabia que as crianças influenciam 80% das decisões de compras de uma família? Os dados são do instituto InterScience. Com os pequenos cada vez mais expostos à TV e à internet – e, como consequência, à publicidade – é necessário, para o bem de todos, trazer o tema do consumismo para dentro de casa desde cedo, despertando neles a consciência para uma vida financeiramente mais equilibrada e saudável. (mais…)

Por que os brasileiros estão entre os que menos poupam no mundo?

Mais da metade dos brasileiros não tem o hábito de poupar dinheiro, apontam os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). O fato coloca o país em posições baixas nos rankings de poupança: os chineses, por exemplo, poupam quase 30% de seus ganhos – o dobro da taxa nacional.

Mas por que, afinal, somos tão mal planejados em maioria? Quais são os fatores por trás desse cenário? Listamos os cinco principais para você conhecer e evitar.

(mais…)

Independência financeira vs Liberdade financeira: entenda a diferença

A proximidade do final do mês pode ser um momento delicado para muitas pessoas, isto porque a renda (ganho) e os custos de vida (despesas) podem não estar sendo compatíveis. Por essas e outras, a educação financeira faz diferença e o primeiro passo para mudar esse cenário é criar o hábito da economia.

Comece a organizar suas despesas de acordo com o quanto você ganha mensalmente e evite gastos que extrapolem este valor. Iniciando com esse planejamento, logo vem a etapa de livrar-se das dívidas e começar a juntar dinheiro para investir. É assim que o desejo pela independência financeira passa a se tornar mais próximo de virar realidade. Mas, e a liberdade financeira?

Para quem ficou na dúvida, os termos não só são diferentes como também indicam situações distintas. Entenda cada um deles e inicie seus planos para alcançá-los.

 

Afinal, o que é a Independência Financeira?

Atingir a independência financeira significa conseguir acumular uma determinada quantia de patrimônio, de modo que esse valor guardado seja suficiente para que você arque com todas as necessidades de custos mensais. Ou seja, a independência financeira quer dizer não depender de outro ganho para suprir seus gastos, como por exemplo, o salário.

Este prazo pode variar entre dois meses até um ano. É como ter uma reserva de emergência. Se algo inesperado acontece (uma demissão, por exemplo), ela é importante para que você não contraia dívidas.

Falando em dívidas, este é o segundo passo para alcançar a independência financeira. Quitar as dívidas, depois reduzir os custos e então poupar e investir para manter o padrão de vida que deseja.

Liberdade Financeira

Alcançar a liberdade financeira é atingir o patamar de poder tomar decisões financeiras com mais tranquilidade. Nessa situação, você tem a possibilidade de escolher […]

Como economizar dinheiro em diferentes fases da vida?

É realmente difícil aprender tudo sobre dinheiro de uma vez só. Mas tendo o conhecimento mínimo em cada fase da vida, já é possível evitar endividamentos desnecessários no futuro. Pensando nisso, separamos algumas dicas e cuidados que você precisa ter em cada etapa:

Aos 20 anos

Com o primeiro estágio ou emprego, é iniciada a vida financeira dos mais jovens. Nesse momento em que eles experimentam pela primeira vez a sensação de serem donos de uma renda própria, é comum a euforia e o desejo de vivenciar novas coisas (viagens, noitadas, a compra de um carro), mas esta também é a fase em que se deve aprender a ter responsabilidade com o dinheiro, criando o hábito de poupar sempre. Vejas algumas dicas de como economizar sem abrir mão do lazer.

Equilibre as saídas e baladas –Você não deve abrir mão de fazer o que gosta, mas precisa saber equilibrar esses gastos sem comprometer toda a renda. Ao receber o salário, reserve de uma vez o que se propôs a economizar e, então, use o restante para as atividades que lhe trazem prazer.
Poupe metade, gaste metade – aproveitando que esta é uma fase de poucas despesas fixas, já que a maioria dos jovens desta idade ainda vivem com os pais ou preferem dividir um imóvel com amigos, especialistas em finanças recomendam que se poupe pelo menos 50% da renda nesta fase.
Compre à vista – o cartão de crédito e a possibilidade do parcelamento são tentadores, mas evite sempre que possível. O melhor a se fazer é pagar à vista para não perder o costume de economizar, hábito importante de adquirir nesta fase da vida em que o dinheiro ainda não está comprometido com despesas fixas mais […]

As redes sociais podem ser suas aliadas na hora de investir. Saiba quem seguir no Instagram

Quem deseja aprender a investir hoje pode contar com mais um aliado: o Instagram. A rede social se tornou a queridinha de especialistas no assunto, que criaram perfis com dicas e sugestões de planejamento financeiro para te auxiliar nessa missão. Para você iniciar no tema, separamos cinco perfis que vão ajuda-lo adquirir mais conhecimento sobre finanças!

 

Ver essa foto no Instagram

 
Uma publicação compartilhada por Lavínia Martins, CFP® (@financas_pessoais) em 16 de Jul, 2019 às 12:20 PDT

Instagram: Finanças Pessoais

Quem está por trás: Lavínia Martins

Sobre: Lavínia é uma planejadora financeira certificada, fundadora da FLUXO Planejamento Financeiro, autora e palestrante sobre finanças pessoais. O Instagram @financas_pessoais é voltado para conteúdos sobre organização da vida financeira e contém diversas dicas para você aproveitar melhor seu tempo e dinheiro.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 
Uma publicação compartilhada por Educação Financeira (@partiupoupar) em 16 de Jul, 2019 às 7:58 PDT

Instagram: Partiu Poupar

Quem está por trás: Rafael Fernandes de Medeiros

Sobre: O Partiu Poupar (@partiupoupar) surgiu a partir do interesse crescente das pessoas sobre o mundo da educação pessoal financeira. Com o objetivo de alcançar o maior número de seguidores, o Partiu Poupar reúne o que há de mais atual sobre finanças pessoais para que seja possível curtir a vida com consciência financeira.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 
Uma publicação compartilhada por Empreendedorismo & Finanças (@academiadevalor) em 16 de Jul, 2019 às 4:06 PDT

Instagram: Academia de Valor

Quem está por trás: Neto Frota

Sobre: Neto é advogado e educador financeiro. Seu perfil (@academiadevalor) tem foco em compartilhar valores para quem busca evoluir seu patrimônio. Os conteúdos são voltados para a educação pessoal de maneira geral, mas visando e focando o lado financeiro.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 
Uma publicação compartilhada por Carol Sandler (@financasfemininas) em 10 de Jul, 2019 às 5:00 […]

O que é mais prazeroso: gastar com experiências ou com bens materiais? Veja o que a ciência diz sobre isso

Recompensar seu trabalho duro comprando alguma coisa para se presentear pode proporcionar uma sensação muito boa e gratificante. Desde um carro novo, uma roupa da moda, ou até mesmo um sapato bonitoe confortável, a aquisição de  “coisas” pode mesmo trazer felicidade. Mas cientistas comprovaram: essa sensação tem prazo, e ele é curto.

Um estudo realizado pelo Dr. Thomas Gilovich, professor de Psicologia da Universidade de Cornell, chegou a um resultado depois de quase duas décadas de trabalho: é melhor investir seu dinheiro em experiências, não com “coisas”! Isso porque a felicidade que você sente quando compra um objeto passa muito mais rápido do que quando seu dinheiro é investido em viver uma experiência.

Gilovich afirmou que todos compram coisas para serem felizes, para terem sucesso. Mas essa sensação é temporária. Novos objetos são excitantes apenas no início, mas depois é normal que você se adapte a eles. A sugestão do psicólogo é que, ao invés de investir no celular mais moderno do mercado ou no melhor carro, você pense em usar seu dinheiro em programas e atividades para ter mais felicidade.

O médico, que estuda o comportamento humano desde o início dos anos 1990, é um dos maiores especialistas do mundo no que diz respeito à análise do comportamento dos consumidores. Ele estuda como as pessoas empregam seu dinheiro e o efeito de suas escolhas. No estudo realizado mais recentemente, sua conclusão foi que as pessoas são mais felizes quando investem seu dinheiro em jantares, passeios, viagens de férias, espetáculos e exposições. Experiências que podem realmente mudá-las e acrescentar em suas vidas alguma sensação e vivência que antes elas não tinham. Isso porque as experiências podem sempre ser relembradas, revividas e compartilhadas, expandindo a percepção de prazer.

A […]

Você já ouviu falar em “Amor por Contrato”?

Amor por Contrato, filme de estreia do diretor Derrick Borte protagonizado por Demi Moore, conta a história da família Jones que, a princípio, parecem levar uma vida perfeita. Kate e Steve tem um casamento incrível, Jenn e Mick são bons filhos e o clã é dono de muitos bens materiais. As primeiras sequências do longa focam em apresentar toda a atmosfera de luxo que ronda os Jones, recém-chegados em um condomínio, com um modelo de vida perfeita e feliz.

Longe dos olhos de quem mora ao lado, a história é outra. Steve, o marido, dorme em um quarto separado de Kate, que é invadido no meio da noite por Jenn, completamente nua. Kate entra no quarto e leva a filha embora sem dizer nada e, no dia seguinte, quando seria esperado que a família discutisse sobre o acontecido, nada é dito. Logo é inserida na história a personagem KC, que vai até a casa da família apresentar o número de vendas realizadas por eles. Na verdade, os Jones trabalham o marketing ocult – a empresa para a qual eles trabalham é especializada em despertar o desejo de consumo em outras pessoas. Não há qualquer laço sanguíneo entre eles, todos foram escolhidos para montar uma célula de vendas em um novo local, despertando interesse dos novos vizinhos em seus bens materiais e estilo de vida.

A família oferece jantares luxuosos onde podem apresentar novos produtos sem que seus convidados percebam que estão sendo convencidos a realizar uma compra. Tudo gira em torno de despertar nos outros o interesse pelo que os Jones têm.

Larry, vizinho dos Jones, ganha voz na história por não aceitar levar um estilo de vida inferior ao deles e, dominado pela inveja, acaba adquirindodiversas […]

Ciclo da Vida Financeira: você sabe em qual etapa está?

Cedo ou tarde, você vai ter que se preocupar em encontrar maneiras melhores de lidar com o dinheiro. E para algumas pessoas esse poderá ser um tópico complicado e de difícil compreensão, tanto que atualmente já existem muitos cursos específicos, que nos ensinam a lidar melhor com as próprias finanças e onde investir aquele dinheiro extra que será fundamental para o nosso futuro.

Mas como preparar essa reserva para o amanhã, se uma preocupação de grande parte da população é garantir renda para assegurar o presente? Estar focado em suprir as necessidades imediatas não está completamente errado, mas é importante traçar um objetivo e manter esse foco ao longo da vida, para não ter surpresas desagradáveis no futuro, oq eu chamamos de Ciclo da Vida Financeira.

Antes de entender o que é isso e de que maneira você pode começar a construir um futuro financeiro estável, é importante lembrar de três princípios básicos para ter certeza de que não vai acabar se apertando:

Tente não gastar tudo o que ganha;
Tente não gastar mais do que ganha;
Tente não gastar antes de ganhar.

Um modelo de planificação das etapas da vida e de como se relacionar com o seu dinheiro ao longo dela foi proposto pelo economista americano de origem italiana, Franco Modigliani, ganhador do Prêmio Nobel de Economia em 1985Chegando então ao Ciclo da Vida Financeira,. No modelo de Modigliani, foi presumido que as pessoas seguem um padrão mais ou menos definido de acumulação de patrimônio, conforme imagem a seguir:

 

(B3 Educação/Site EXAME)

Nesse gráfico, é demonstrado que as pessoas começam suas vidas profissionais próximo aos 20 anos. E, normalmente, é chegando aos 30 anos que se alcança a “aceleração profissional”, onde surgem as oportunidades de aumento e […]

Empréstimo pessoal: três dicas antes de fazer o seu

Quando surge uma emergência que implica em um gasto extra, muita gente apela para os empréstimos. Mas antes de dar assumir este compromisso, verifique algumas premissas importantes para não cair em ciladas:

Avalie seu objetivo e a necessidade

O motivo pelo qual você pretende contrair um empréstimo é realmente necessário? Analise todas as situações e se é realmente possível adicionar este gasto à sua renda pessoal. Não comprometer seu orçamento familiar é fundamental. Por isso, estude suas contas para saber o que é supérfluo e o que é prioridade. Se houver a possibilidade de pagar o valor da parcela, então poderá contratar seu empréstimo.

Muitas pessoas preocupam-se com a quantia que poderão tomar emprestada sem observar o valor das parcelas e a capacidade de honrá-las mês a mês sem comprometer outros custos fixos (como as contas de água, luz, etc) e assim, acabam se enrolando ainda mais e, me alguns casos, tendo que pegar outros empréstimos para tentar arrumar as finanças.

Pesquise suas opções

Fique atento aos anúncios de empréstimos e financeiras. É importante checar se é uma instituição confiável ou se não passa de uma tentativa de golpe. Se atente também a quantidade de parcelas, uma vez que será um débito recorrente e possivelmente longo. E não esqueça de comparar as taxas de juros e fazer uma simulação de crédito online, as condições e variações podem ser significativas de uma instituição para outra. Somente após uma análise mais detalhada, será possível selecionar a melhor opção, taxa e prazo.

Confira o contrato

Parece uma dica boba, mas é muito importante se ater a cada uma das cláusulas e saber exatamente o que você está assinando. Não seja pego de surpresa com taxas de manutenção, reajustes do valor, parcelas maiores do que […]