Início do ano muitas vezes significa uma revisão no orçamento doméstico, certo? Organizar e economizar nas despesas são práticas fundamentais para alcançarmos nossas metas financeiras para 2019.

Mas como diferenciar os gastos realmente importantes daqueles feitos de forma menos racional? Uma medida para ajudar você a estabelecer suas prioridades é classificar suas despesas em três grupos – essenciais, necessários e supérfluos. Veja as características de cada tipo de gasto:


Gastos essenciais

São aqueles dos quais você depende para viver, como alimentação, moradia, saúde, transporte e educação. Como esses gastos não podem ser eliminados, o ideal é tomar determinadas ações para reduzi-los, sem, no entanto, comprometer o seu bem-estar pessoal.

Por exemplo, já é possível diminuir seus gastos com medidas simples na hora de ir ao supermercado. Você pode fazer uma lista de compras, comparar preços e também acompanhar promoções.

Em relação à moradia, se você vive em um imóvel alugado, considere renegociar o valor pago mensalmente ou então procurar outro aluguel que se encaixe melhor no orçamento.

Quanto às inevitáveis contas de água, luz e gás, a dica é trocar os eletrodomésticos antigos por outros mais econômicos. Vale ainda prestar atenção aos excessos do dia a dia e tornar o consumo diário mais consciente.

Gastos necessários

São aqueles que contribuem para a manutenção da sua qualidade de vida em geral, mas que podem ser reduzidos ou até mesmo eliminados, ao menos por um certo período. Nessa categoria podemos incluir, por exemplo, os gastos com telefone celular, carro, viagens e TV por assinatura.

Que tal deixar seu carro na garagem por um tempo? Ao adotar meios de transporte público, utilizar bicicleta para se locomover e mesmo pedir caronas a amigos e colegas, já é possível economizar nas despesas com automóvel.

Aquela viagem em família também pode ser adiada para ocorrer em um momento financeiro mais favorável, caso o seu orçamento esteja curto. Se a pausa para o descanso é inadiável, você ainda pode fazer alterações no roteiro – trocar o avião pelo ônibus, por exemplo, pode ser uma boa alternativa.

E, claro, eliminar os gastos com a TV por assinatura torna-se ainda mais fácil diante das infinitas opções de entretenimento na internet.

Gastos supérfluos

São aqueles que, apesar de trazerem satisfação, podem ser facilmente eliminados do orçamento doméstico. Em geral, aqui encontram-se os carros de luxo, roupas da moda e jantares em locais muito caros.

Economizar nessa categoria não significa, porém, abrir mão do lazer. Considere passeios mais baratos ou mesmo gratuitos, como idas a parques, campos e museus. Já os encontros com parentes e amigos podem ser trocados por reuniões em casa, que tal?

Quanto às roupas, você pode aproveitar promoções, outlets e brechós para adquirir a peça que tanto desejava. Se é uma roupa para uma ocasião única, considere alugar ao invés de comprar uma peça para ser utilizada somente uma vez.

A partir da identificação de cada gasto, se torna mais fácil adquirir controle sobre o seu orçamento. Lembre-se: reduzir e cortar despesas não necessariamente implica queda na qualidade de vida da família. Com organização e uma pitada de criatividade, é possível atingir seus objetivos financeiros sem grandes sacrifícios.