Nos planos de previdência complementar, o participante deve optar, ao ingressar no plano, por um dos dois tipos de tributação disponíveis: tabela progressiva ou tabela regressiva.

É importante tomar esta decisão com informações suficientes sobre as formas de tributação e após considerar os planos pessoais para o futuro. Depois de tomada a decisão, ela não poderá mais ser alterada. Por isso, na hora de escolher, sugere-se que sejam levados em conta pelos menos dois aspectos bastante importantes: o valor que quer resgatar / receber no futuro; quando se pretende resgatar / aposentar.

A tributação dos planos de previdência complementar considera os seguintes tipos de tabela de Imposto de Renda:

• Tabela Progressiva

Na Tabela Progressiva, o valor da alíquota do Imposto de Renda aumenta de acordo com o valor que o participante receberá ou resgatará. Esta tabela é utilizada no salário, mês a mês, e tem alíquota máxima de 27,5%.

Consulte aqui a Tabela Progressiva vigente.

• Tabela Regressiva

Nesta modalidade de tributação, quanto mais tempo a reserva previdenciária tiver, menos imposto será pago. As alíquotas diminuem com o tempo e são calculadas de acordo com a data de cada contribuição ou aporte.

Prazo de permanência do investimento

Alíquota de IRF

Até 2 anos 35%
de 2 a 4 anos 30%
de 4 a 6 anos 25%
de 6 a 8 anos 20%
de 8 a 10 anos 15%
Mais de 10 anos 10%